O resultado de esforço que não produz resultados é frustração. A frustração é um sentimento perigoso, facilmente nos faz entrar numa espiral descendente, conduzindo-nos a resultados ainda piores e entrar num ciclo vicioso de insucesso.

Aquilo que pretendo com este artigo é mostrar uma forma de minimizar este problema. Como? Recorrendo a profissionais treinados para nos ajudar.

Há, sensivelmente um ano, saiu um estudo, divulgado por uma companhia de seguros de crédito francesa, que apresentava o aumento estimado do número de falências de empresas em função desta situação do covid-19. Para Portugal estimaram um aumento de 5%, bastante abaixo dos mais de 25% estimados como média na Europa. Felizmente parece que estes números não se concretizaram.

A verdade é que, mesmo os números não sendo tão maus quanto o estimado, o cenário está longe de ser animador, todos os meses há, sensivelmente, 500 empresas a fechar portas!

Isto significa que muitas pessoas se vão ver privadas do seu ganha pão. 

E, o que mais me entristece, é que muitas destas pessoas não é porque não se tenham esforçado que as suas empresas não vão resistir. As empresas vão falir porque as pessoas não souberam ou não conseguiram usar o esforço da forma mais produtiva.

Para fazer uma empresa crescer o esforço é fundamental, mas por si só não é suficiente. É preciso saber onde e como o aplicar.  O esforço tem que ser aplicado onde produz resultado. 

Quando sentimos que estamos a dar tudo de nós e os resultados teimam em não aparecer, é o momento para parar e pensar. 

  • Onde é que o meu esforço é mais preciso?
  • Como é que ele pode trazer melhores resultados?

Um profissional treinado vai ajudar-nos a direcionar a nossa atenção para o que é importante, vai ajudar-nos a manter o foco com aquilo que tem que ser feito.  Muitas vezes descobrindo coisas simples que estavam “invisíveis” e, às vezes, indo mais longe e redefinindo a estratégia, ajustando as táticas, garantindo que o plano é posto em ação e levado até ao fim.

Quando estamos intimamente ligados a alguma coisa, seja pelo investimento que já fizemos ou por uma questão de hábito, pode ser difícil de avaliar, com isenção, o que temos que mudar. Problemas que nós nem sabemos que temos, mas que nos estão a boicotar.

É neste momento que a ajuda de um consultor pode ser mais importante. E, é assim que tenho ajudado várias empresas. Os resultados são gratificantes, ver as pessoas e as empresas a fortalecer-se e crescer.

O testemunho do Elio e do Fabio é um exemplo disto mesmo, eles explicam de que forma ajudei a Albipack a identificar onde se concentrar para crescer. Crescer mesmo neste cenário de pandemia, em que falhar era natural.

Se aquilo que leu faz sentido, conte comigo.

Envie-me um e-mail para vascorosapires@vr2p.pt

Resistência à Mudança

Fui, nos últimos tempos, confrontado com duas situações profissionais que embora diferentes conduzem a idênticas conclusões. No primeiro [...]

A Curva de Pânico

Porque é que muitos projectos de melhoria são abandonados? A CURVA DE PÂNICO É natural que depois da [...]