O Multitasking, a capacidade de realizar várias tarefas em simultâneo, tornou-se um fenómeno cada vez mais presente na sociedade. E, neste dia dedicado aos empresários do nosso país, destacamos este traço característico inerente a muitos deles. 

Perante a responsabilidade e compromisso para com a sua equipa, ser “Multitasker” tornou-se um fator obrigatório. Tendencialmente, há uma valorização pelo rápido e eficaz, com a percepção de que quanto mais se faz, melhor. Mas, será que estamos realmente a ser mais eficientes e produtivos ao fazer várias tarefas ao mesmo tempo?

Esta ideia de que somos capazes de fazer tudo ao mesmo tempo e com eficiência, não passa de um mito, e neste artigo vamos ver o porquê.

Porque é que o fazemos?

Quando completamos uma tarefa, tão simples como enviar um email, é induzida a produção de dopamina, “o neurotransmissor de recompensa”. A dopamina, que atua particularmente na sensação do prazer, incentiva-nos a manter a constante troca entre as tarefas que nos concedem uma gratificação instantânea. Este ciclo converte-se num vício, que cria a falsa ilusão de que conseguimos concluir de uma forma mais rápida ou produtiva várias tarefas.

O que acontece no nosso cérebro?

O córtex pré-frontal é inundado por múltiplos estímulos externos, o que acarreta um “custo cognitivo”. Por exemplo, imagine várias bolas de ping pong a saltar ao mesmo tempo, o nosso cérebro não consegue focar-se e acompanhar o movimento de todas elas.

Ao executar, simultaneamente, mais do que uma tarefa, o foco entre elas vai sendo alternado a uma rápida velocidade. Desse modo, a atenção que é exigida nas trocas, gera uma sobrecarga que compromete o processamento da informação, afetando o nosso rendimento e produtividade. Por conseguinte, acabamos por demorar mais tempo a concluir as tarefas e ficamos mais vulneráveis a cometer erros.

Veja por si mesmo:

Pegue 2 folhas de papel e: 

  1. Desenhe 4 barquinhos e a seguir 4 casinhas e meça o tempo (unitask);
  2. Desenhe 1 barquinho e em seguida 1 casinha, repita por 4 vezes e meça o tempo (multitask).

Agora compare o tempo de cada método. Em qual demorou mais tempo? 

O nosso cérebro não foi projetado para se concentrar em várias tarefas ao mesmo tempo. Sugerimos que tente evitar a troca rápida entre tarefas, foque-se numa de cada vez. No final terá um dia mais produtivo.

Partilhe este Artigo e conheça muitos outros em vr2p.pt/

Bom trabalho com muita produtividade,

Ana Oliveira

Resistência à Mudança

Fui, nos últimos tempos, confrontado com duas situações profissionais que embora diferentes conduzem a idênticas conclusões. No primeiro [...]